E o melhor ciclista de 2017 é…

Por Erika Sallum

Que ano para o ciclismo de estrada! Após as notícias bombásticas de que o britânico Chris Froome — vencedor do Tour de France e da Volta da Espanha deste ano — pode perder seus títulos após ter sido pego no teste de doping (sua urina continha níveis surpreendentes de salbutamol, substância usada para combater os males da asma), ficou um certo vazio sobre quem, de fato, teria sido o melhor ciclista de 2017.

O ótimo site Cycling Weekly saiu na frente de todos e deu logo sua lista dos 100 “best of” atletas de estrada deste ano. Acertadíssima sua escolha do número 1: o holandês Tom Dumoulin. Aos 27 anos, este excepcional cicista de contra-relógio mostrou em 2017 que tem tudo para se tornar um dos maiores nomes da sua geração.

Garra, foco e força foram a chave para o sucesso de Dumoulin em 2017 (Foto: Team Sunweb LB/RB/Cor Vos)

Sem nunca ter subido ao pódio de uma Grande Volta (como é chamada a tríade Tour de France, Vuelta a España e Giro d’Italia), Dumoulin fez história no Giro. Vestiu a camisa rosa de líder da competição italiana durante 9 das 21 etapas e se tornou campeão, deixando para trás favoritos como o colombiano Nairo Quintana e o italiano Vincenzo Nibali. E nem uma dor de barriga no meio da prova foi capaz de abater o jovem holandês.

Confesso que Chris Froome teria sido, na minha humilde opinião, o grande atleta de 2017, ao subir no lugar máximo do pódio em duas Grandes Voltas. Infelizmente a suspeita de doping — ainda é preciso esperar as investigações e veredito sobre o caso — acabou por manchar sua fantástica performance neste ano. Sinceramente espero que Froome prove sua inocência e possa cumprir o que tem prometido para 2018: vencer o Tour de France e o Giro d’Italia (feito inédito desde 1998).

Enquanto o caso de doping não é resolvido, Dumoulin fecha o ano com a certeza de ter pedalado brilhantemente. Chapeau para ele!

Tom Dumoulin celebra sua vitória no Giro d’Italia 2017 (Foto: Divulgação)