Vuelta a España começa hoje e marca a despedida de Alberto Contador das estradas

Por Erika Sallum

A última das três Grandes Voltas ciclísticas do ano — após o Giro d’Italia e o Tour de France — começa hoje (19 de agosto) em clima de despedida. A 72ª Vuelta a España será para sempre a edição em que o mito espanhol Alberto Contador disse adeus definitivo ao ciclismo de estrada. Polêmico, do tipo “ame-o ou odeio-o”, teve a carreira repleta de altos e baixos, conquistando pódios impressionantes e protagonizando escândalos de doping.

Contador durante o Tour de France deste ano, já pela equipe Trek-Segafredo (Foto: Divulgação/Team Trek-Segafredo)

Goste você ou não de “El Pistolero”, não se pode negar que esse atleta foi um dos maiores astros do ciclismo de sua geração. Venceu três Tour de France (mas perdeu um deles após a confirmação de doping), três Vueltas e dois Giros. Exímio escalador de estilo elegante, ele imortalizou um jeito todo próprio de subir fora do selim, em uma espécie de dança ritmada com os pedais — em ataques mortais que deixavam atônitos seus rivais. De ares entre o simpático e o arrogante, não tem o carisma de um Peter Sagan, mas conquistou uma legião de fãs, e também de críticos; porém todos, sem exceção, paravam para ver suas fugas explosivas montanha acima.

“Eu me despeço de maneira feliz, sem tristezas. Eu pensei bastante sobre a decisão e não acredito que exista melhor despedida que nesta prova, em meu país. Tenho certeza de que serão três semanas de sonho”, disse Contador em um vídeo (assista abaixo) divulgado por sua atual equipe, a Trek-Segafredo.

Não será uma Vuelta a España das mais fáceis para Contador, que vai dividir o pelotão de galácticos com nomes como o britânico Chris Froome (vencedor de quatro Tour de France), os italianos Fabio Aru e Vincenzo Nibali, o colombiano Esteban Chaves e os franceses Romain Bardet e Warren Barguil. No Tour de France deste ano, o espanhol teve acidentes feios e penou para se destacar. Terminou em um honroso nono lugar, após liderar momentos inesquecíveis em que saía desembestado, descolando do pelotão principal e eletrizando o público.

A 72ª Vuelta a España termina em 10 de setembro, após 21 etapas e 3.324 km. Serão cinco etapas planas, oito etapas de média montanha e cinco etapas de montanha, além de um contra-relógio por equipes e um contra-relógio individual. A largada acontece em Nîmes, na França, para depois adentrar solo espanhol.

Cena da Vuelta a España 2016 (Foto: Graham Watson/Divulgação)

A disputa promete. Em uma recente entrevista coletiva, Contador deu a letra: “Eu estou com a ideia de ir para ganhar, e para me divertir também”. Será a primeira vez em sua carreira que o espanhol de 34 anos vai competir uma Vuelta logo após ter completado um Tour de France. Certamente ele estará cansado. Mas, em se tratando de El Pistolero, a briga no asfalto será das boas.

O pelotão na etapa 16 da Vuelta a España 2016 (Foto: Unipublic/Graham Watson)

> A seguir, o vídeo em que Contador anuncia sua aposentadoria:

> E um resumo animado de como será a Vuelta a España 2017: