Artista cria a ‘maior bike do mundo’ e te convida para participar

Por Erika Sallum

Cicloativismo, amor pela bike e luta por cidades melhores sempre estiveram presentes no trabalho do artista e designer paulistano Valdinei Calvento Júnior, 39. “Cabelo” é velho conhecido da galera que pedala em São Paulo e outros centros urbanos do país. Seus desenhos, muitos deles inpirados na bicicleta, podem ser vistos em paredes e camisetas espalhados por aí. Agora o artista resolveu lançar uma ideia tão simples quanto genial: convocar a todos para ajudá-lo a criar a “maior bike do mundo”.


A tal “superbike” é uma reunião de desenhos vindos de várias partes do Brasil e do mundo. Qualquer um pode criar (valem pinturas, colagens ou qualquer outra técnica); depois basta enviar o ciclista em questão para Cabelo, que o adiciona na bike infinita. “A ‘maior bike do mundo’ dá sequência a projetinhos que tenho feito para tornar nossas cidades mais amigas das bicicletas e transformar os espaços públicos”, diz ele.

Para participar é muito simples: você entra em amaiorbicicletadomundo.tumblr.com, baixa o template (a segunda pessoinha na bicicleta que surge na tela), desenha como quiser e depois envia para bicicletagirassol@gmail.com e pronto! “Estou enviando para todos os meus contatos e espero que as pessoas contribuam!”, afirma Cabelo.

Nada melhor que o próprio artista para explicar um pouco mais sobre o projeto:

Por que você decidiu criar a “maior bike do mundo”?
CABELO A maior bicicleta do mundo nasceu de um brincadeira que fiz há alguns anos para divertir meus amigos. Distribuí um template para cada um e pedi que desenhassem o que quisessem na bicicletinha. Desde então acalentava a ideia de fazer uma versão online, onde todos pudessem desenhar e fazer parte dessa bike.

Como um projeto desse tipo pode contribuir para que nos tornemos uma sociedade mais amiga da bike?
A bicicleta, como a arte, é uma ferramenta extremamente poderosa para exercitarmos nossa liberdade e nos sensibilizarmos com o que acontece a nossa volta. Acho que, em uma sociedade problemática como a que vivemos, isso é urgentíssimo.

Como a bike passou a ter uma relação profunda com sua arte?
Em 2007, passei a usar a bicicleta como meio de transporte e sentia a agressão de motoristas o tempo todo. Para me insurgir contra isso, comecei a colar pôsteres e adesivos sujerindo que quem tinha carro grande estava compensando a falta de “alguma coisa”. A partir daí, não parei mais. E continuo vendo na bicicleta um importantíssimo símbolo de transformação.

A seguir, algumas dos trabalhos mais conhecidos de Cabelo com inspiração na bicicleta: