Cervejarias artesanais fazem lindas e deliciosas homenagens a bike

Por Erika Sallum

Que bike e cerveja mantêm um duradouro namoro, não é novidade. Lá pelos anos de 1900, os ciclistas do Tour de France já adoravam tomar umas e outras para animar os ânimos nas duras etapas da prova. E uma boa cervejinha pós-pedal é quase um ritual de praticamente todo mundo que curte ciclismo e alguma diversão além-treino.

Ciclistas do Tour de France fazem uma parada estratégica para se refrescar (Fonte: Domínio público via Wikimedia)

O amor entre bike e cerveja é tanto que algumas cervejarias artesanais mundo afora vêm prestando interessantes homenagens àquela que é a mais bela invenção do homem: a bicicleta. Estados Unidos e Europa já contam com uma boa lista dessas cervejas, que em geral possuem rótulos maravilhosos e nomes criativos. Até o Brasil ganhou temporariamente uma dessas, meses atrás, chamada Pelotão, resultado de uma parceria entre a Cervejaria Dádiva e a Tarantino Beer. A lager Pelotão foi uma edição especial, mas seus criadores prometem para breve um novo lançamento, a Gira Mundo, também celebrando a paixão pelas duas rodas.

A brasileira Pelotão, edição especial que rolou uns meses atrás e tinha até rapadura na composição (Foto: Divulgação)

Uma das mais divertidas é, sem dúvida, a Malteni — brincadeira com “malte” e com o nome da mítica equipe Molteni, do belga Eddy Merckx, maior lenda do ciclismo de estrada de todos os tempos. Produzida na Bélgica, tem três versões cujos rótulos remetem às camisas (jerseys) de ciclismo: a amarela de líder do Tour de France, a laranja da equipe Molteni e a branca de campeão mundial. Uma graça.

A Malteni tem rótulos em formato de camisas de ciclismo (Foto: Divulgação/Malteni)

A cervejaria New Belgium, do Colorado (EUA), decidiu produzir a ale Fat Tire depois que seus proprietários fizeram uma cicloviagem pelo país de Eddy Merckx. Até no logo da New Belgium tem lá uma fofa bikezinha vermelha.

Toques de malte tostado e leve aroma de caramelo são características da americana Fat Tire (Foto: Divulgação)

Os destemidos bike messengers que cruzam as cidades em suas magrelas de uma marcha só e pinhão fixo (as bicicletas fixas) foram a fonte de inspiração da Fixed Gear, encorpada red IPA da cervejaria Lakefront, de Wisconsin (EUA). O rótulo tem uma pegada mais urbana mesmo, como deve ser uma cerveja com esse nome.

A Fixed Gear é forte, com personalidade, como os ciclistas couriers que andam de bike fixa (Foto: Divulgação)

Fundada em 2016, na região de San Diego, na Califórnia, a Rouleur Brewing Company surgiu da paixão de Rawley Macias por cerveja e ciclismo. A empresa possui seis tipos de cerveja, todas com nomes que fazem referência aos vários papeis desempenhados pelos ciclistas de estrada — como o escalador (grimpeur), o sprintista e o gregário (domestique).

Lançadas em 2017, as cervejas Rouleur fazem homenagem aos vários tipos de ciclistas de estrada (Foto: Divulgação)

Se foi pouco criativa no nome, a australiana Bicycle Beer ganha no quesito de rótulo mais elegante entre as cervejas ligadas ao universo do ciclismo. Produzida pela Temple Brewing Company, é uma pale ale desenvolvida, segundo o fabricante, para “matar a sede e ser leve o suficiente para te levar de volta para a bike numa boa”.

A australiana Bicycle Beer é uma pale ale levinha, ideal para dias quentes (Foto: Divulgação)