Nem dor de barriga tira a camisa rosa do líder do Giro d’Italia, em impressionante demonstração de garra e bravura

Por Erika Sallum

O ciclismo é, acima de tudo, um esporte de sofrimento e garra, onde não raro sangue, suor e lágrimas marcam a rotina de amadores e, claro, profissionais. A etapa desta terça-feira (23 de maio) do Giro d’Italia, uma das maiores competições mundiais do ciclismo de estrada, mostrou isso de maneira emocionante, em um dia de acontecimentos surpreendentes. A “etapa rainha” – como é a chamada a mais dura de uma prova de vários dias – do Giro d’Italia por si só é puro drama: 222 km, com elevação total de 5.500m, percorridos entre as montanhas mais desafiadoras do evento, entre elas as míticas o Passo del Mortirolo e o Passo dello Stelvio (duas das subidas mais famosas da história do ciclismo).

Os fãs do Giro já esperavam por batalhas homéricas na etapa 16 desta terça-feira, especialmente entre o italiano Vincenzo Nibali e o colombiano Nairo Quintana, dois dos favoritos, que na última semana da competição precisam dar tudo de si se quiserem vencer. O líder da prova, o holandês Tom DuMoulin, obviamente iria lutar para manter a maglia rosa (camisa rosa). Eis que, do nada, Dumoulin freia a bike, arranca a camisa rosa e sai correndo para o acostamento, com uma dor de barriga desesperadora.

Tom Dumoulin, do Team Sunweb, na etapa 15 do Giro D’Italia 2017 (Foto: Divulgação Team Sunweb/LB/RB/Cor Vos)

Voltaria ele para a prova? Seria o fim do holandês no Giro? Que nada! Passado o mal estar, Dumoulin, do Team Sunweb, voltou para sua bike e foi atrás do prejuízo — o pelotão de ciclistas que estavam liderando a etapa chegou a ficar muitos minutos a sua frente. Guerreiraço, ele deu show de ciclismo ao lutar com todas as forças, ao enfrentar subidas terríveis, ao aguentar frio, calor, ao encarar descidas perigosíssimas e, especialmente, ao não se deixar abater pelo “piriri”. Conseguiu a proeza de manter a camisa rosa de líder, mesmo após tanto perrengue. Nibali venceu a etapa-rainha, mas o verdadeiro astro do dia foi esse holandês de 26 anos, que nos relembrou com bravura por que o ciclismo é mesmo um dos esportes mais sensacionais do planeta. Kudos, Dumoulin!

O vídeo abaixo mostra o momento em que Dumoulin faz uma parada estratégica por causa de um piriri: