Quer estrear nas cicloviagens? Vá para a Ilha do Cardoso

Por Erika Sallum

Viajar de bike significa muito mais do que apenas um jeito de se locomover nas férias — é, isso, sim, um estado de espírito, quase um manifesto em favor da simplicidade e do minimalismo. Em uma cicloviagem, é preciso levar apenas o necessário, sem exageros para nenhum dos extremos. O vento no rosto, um tempo único que só a bike carregada com alforjes proporciona e a sensação de estar 100% presente naquele momento… se você ainda não se lançou em uma jornada em duas rodas, é chegada a hora.

A fotógrafa Paula Pedrosa pedalando no entardecer da Ilha do Cardoso (Foto: Silas Batista)

Para os iniciantes nos prazeres da cicloviagem, um roteiro belíssimo e pertinho da cidade de São Paulo oferece todos os “mimos” para você estrear nesse tipo de aventura. E o melhor: você gastará pouco e se divertirá imensamente. A 256 km da capital, a região da Ilha do Cardoso, no litoral sul, traz uma baita vantagem: é plana e com areia firme, perfeita para rolês off road na sua magrela. Protegida como parque estadual, a ilha tem vegetação densa de mata atlântica e tranquilidade suficiente para você aperfeiçoar suas habilidades outdoor. “As paisagens de lá são lindas. Essa parte do litoral paulista é deslumbrante e pedala-se muito na praia mesmo, que é ampla e de areia dura”, diz a fotógrafa e ciclista Paula Pedrosa, autora das fotos que acompanham este texto. “A única recomendação é ficar de olho na maré cheia, que pode impedir a passagem em alguns trechos.”

Se você mora em São Paulo, basta ir de carro ou ônibus até Cananeia (vá de ônibus, é mais divertido e “roots”). Lá é só conversar com um barqueiro e amarrar as bikes com cuidado para a travessia até a ilha. Os preços do barco variam, mas custam em torno de R$ 150. No Cardoso, há casinhas de pescadores que alugam quartos. Mas, se a ideia é experimentar um final de semana verdadeiramente outdoor, a melhor opção é acampar. Nem precisa levar muita comida nos alforjes, pois as famílias locais fazem ótimos PFs de peixe, arroz e feijão. Se você tiver mais dias de folgas, dá para esticar rumo ao Paraná, para as outras ilhas próximas, como Superagui e Ilha das Peças.

Desbravar as trilhas do Cardoso é um dos pontos altos dessa cicloviagem (Foto: Paula Pedrosa)

Após deixar os alforjes na barraca, enfim chega a melhor parte do rolê. Pegue sua bike e saia desbravando as trilhas do Cardoso até a praia gigantesca. Há divertidos trechos de areia fofa, praticamente circuitos de ciclocross naturais inteiramente a sua disposição. Dica: leve uma boa lanterna de cabeça e, quando o sol se for, pedale na escuridão da praia, olhando as estrelas, ouvindo o mar e dando risada com quem estiver junto. Será a primeira de suas muitas cicloviagens.

Aproveite para acampar, já que a ilha é segura e tranquila (Foto: Paula Pedrosa)
De Cananeia, é só pegar um barco, amarrar as bikes e ir para o Cardoso (Foto: Paula Pedrosa)
Sem pressa, como toda boa cicloviagem, no Cardoso a pedida curtir a natureza (Foto: Paula Pedrosa)