Começa hoje o 100º Giro d’Italia!

Por Erika Sallum

Ah, que maravilha: começa nesta sexta-feira (5) o Giro d’Italia, que não apenas inaugura a temporada das Grandes Voltas ciclísticas europeias de 2017 como comemora sua centésima edição neste ano. Mesmo que você (ainda) não seja um aficionado por competições de ciclismo de estrada, perca uns minutinhos do seu dia admirando aquela que está entre as mais belas provas desse esporte. Brigas ferozes entre os atletas mais fortes da atualidade, trechos de montanha duríssimos com neve e chuva congelante, paisagens de tirar o fôlego de tão belas e muito sangue nos olhos vão marcar as 21 etapas do Giro – que totalizará impressionantes 3.615 km (ou cerca de 171 km de média por dia!).

Etapa 5 do Giro d’Italia 2016, que teve 233 km e foi de Praia a Mare a Benevento (Foto: Divulgação/Giro d’Italia)
Montanhas nevadas marcaram a etapa 20 (134 km) do Giro do ano passado (Foto: Divulgação/Giro d’Italia)

As Grandes Voltas são compostas ainda pelo Tour de France (1º a 23 de julho) e pela Vuelta a España (19 de agosto a 10 de setembro). Juntas, são as principais e mais míticas competições de ciclismo de estrada por etapas do planeta. Ainda que o Tour seja a mais famosa e atraia muito mais pessoas – são 10 milhões de espectadores nas estradas francesas torcendo pelos atletas –, o Giro traz a aura de acontecer em solo italiano, terra por excelência desse esporte. Seu peso histórico é brutal; já era considerada uma prova importante muito antes de a Itália se tornar uma república, em 1946.

O que surgiu apenas como uma jogada de marketing para dar mais visibilidade ao jornal La Gazzetta dello Sport, em 1909, se tornou um evento gigantesco (devido às guerras na Europa, a competição não aconteceu em alguns anos). Durante três semanas (até o dia 28 de maio), estrelas como o italiano Vincenzo Nibali, vencedor da edição de 2016, travam duelos intensos com outros nomes “galácticos”, a exemplo do colombiano Nairo Quintana – um ciclista de origem humilde que despontou uns anos atrás na arena internacional e venceu o Giro em 2014. Se no Tour de France a disputa é pela camisa amarela, na competição italiana a briga é pela maglia rosa. A cor rosa, aliás, já se espalhou em muitos pontos do país, em homenagem à prova.

Monumento Fausto Coppi, no Passo del Stelvio (Foto: Giro d’Italia)
Piazza del Comune, em Montefalco (Foto: Giro d’Italia)

Graças à tecnologia, hoje nós, brasileiros, não precisamos ficar reféns das TVs pagas para ver o Giro (por aqui, assista pela ESPN). É possível também acompanhar a prova online em streaming, ou ver ao menos parte dela no site do evento. O Instagram oficial @giroditalia também serve de fonte interessante.

A etapa de hoje larga em Alghero e termina em Olbia, na Sardenha, em um trajeto plano de 206 km. Serão 198 ciclistas, divididos em 22 equipes poderosas como a Astana, a Movistar e o Team Sky.

A 100ª edição já começa cheia de emoções: o ciclista italiano Michele Scarponi morreu no dia 22 de abril, enquanto treinava para o Giro. Vencedor da prova em 2011, ele era cotado para ser o líder da Astana, na ausência do conterrâneo Fabio Aru, que está lesionado. Ontem a organização do Giro decidiu cancelar uma premiação, anunciada poucos dias antes, que seria dada ao ciclista mais rápido em descidas — o que gerou protesto nas redes sociais por, em teoria, encorajar os atletas a se arriscarem ainda mais em um esporte famoso por acidentes e mortes. Fique de olho: o Giro dá de dez em muitos blockbusters de ação (e em todas as novelas) por aí. Sério mesmo, não perca.

Neste vídeo, dá para ter uma bela ideia de como será o percurso do Giro 2017: