Filme faz homenagem póstuma ao maior ultraciclista que o Brasil já teve

Por Erika Sallum

A notícia veio como um soco na cara: no dia 25 de janeiro de 2016, o ciclista Claudio Clarindo morreu ao ser atingido por um carro durante um treino na rodovia Rio-Santos. O motorista dormia ao volante. Aos 38 anos, esse santista era – e é até hoje – o maior nome das ultradistâncias do Brasil. Em um país que não está nem aí para o ciclismo, dedicar-se à modalidade das longas distâncias é tarefa para os fortes, os obstinados, os incansáveis. Para muitos leigos, as aventuras de Clarindo nas estradas frequentemente eram classificadas de “imprudência”; já para quem ama pedalar, eram pura lição de determinação e amor supremo à bicicleta.

Entre suas inúmeras conquistas, estão desafios como as 24 Horas de Sebring, nos EUA, em que pedalou 740 km em 24 horas; e ter ido do Rio de Janeiro a São Paulo em 22 horas ininterruptas. Tudo isso era, na verdade, formas que ele encontrava para se preparar para a prova que mais lhe encantava: a Race Across America (RAAM), o maior desafio de ultraciclismo do mundo. A competição corta os Estados Unidos de oeste a leste, em um percurso de cerca de 4.800 km, no qual vence quem melhor souber lidar com as poucas horas de sono e os muitos dias seguidos em cima da bike.

Clarindo participou cinco vezes da prova, na categoria solo, tornando-se ele próprio uma lenda da RAAM. Na edição de 2015, o fotógrafo paulistano Gabriel Rodrigues, 36, fez parte de sua equipe de apoio. Foram 12 dias registrando de pertíssimo o esforço de Clarindo cruzando desertos, montanhas, cidades, florestas.

Claudio Clarindo logo após concluir sua quinta RAAM (Foto: Gabriel Rodrigues)

A ideia de fazer um filme com esse material nasceu assim que Rodrigues – ele próprio um ciclista virtuoso – aceitou o convite para ir à RAAM. Entretanto, após a morte repentina do amigo, a produção também ganhou contornos de homenagem a um esportista de coração tão generoso quanto valente.

O filme Black Bull – De Costa a Costa (de 55 minutos) terá pré-estreia na próxima terça (2), no Cinesala, em São Paulo. Veja o trailer:

A seguir, uma entrevista com o fotógrafo e diretor:

Como foi a experiência de registrar, dia a dia, o maior atleta de ultradistância do Brasil na mais dura prova de ultraciclismo do mundo?
GABRIEL RODRIGUES: A Race Across America é uma prova tão difícil que, mesmo para um ciclista experiente e forte como o Clarindo, consumia muito do corpo e da cabeça. Em 2015, ele levou quase 12 dias para completar os 4.838 km que separam as duas costas norte-americanas. Uma exigência brutal para ele e para toda a equipe. Foi uma experiência insana: além de eu fazer parte do time de apoio, precisei me desdobrar para também realizar um filme.

Teve algum momento da RAAM que mais mexeu com você?
O início da prova é muito dura, pelo calor do deserto e pela dificuldade em atingir o ponto de maior altitude do percurso. Mas, sem dúvida, nenhum momento foi mais duro que a noite do oitavo dia – quando, como o próprio Clarindo definiu, ele teve um “eclipse interno”. Ele não sabia quem era, muito menos o que estava fazendo ali. Foi muito estranho vê-lo naquela situação. Porém na manhã seguinte ele já estava bem e forte para seguir pedalando.

O que você aprendeu com o Clarindo na RAAM e também ao longo de sua amizade com ele?
A maior lição que aprendi com o Clarindo foi a de que temos que insistir, persistir e nunca desistir dos nossos sonhos. Ter conseguido finalizar meu filme foi resultado dessa lição. Eu o chamava de mestre, pois ele sempre estava querendo me motivar e me ensinar coisas. Era uma pessoa linda e muito amiga de seus amigos.

Qual sua maior dificuldade em fazer o filme? O financiamento?
No caso desse filme, foi mesmo o processo de realização. Passei 12 dias de muito trabalho e pouquíssimo sono. Dormi em 11 noites menos de 40 horas. Mas claro que no Brasil a parte financeira para realizar projetos como esse sempre é um grande obstáculo.

O filme tem pré-estreia no dia 2 de maio. E depois seguirá para onde?
Espero conseguir colocá-lo na programação de algum canal de esporte, para que mais e mais pessoas conheçam a história deste que foi, e sempre será, o maior ciclista de longa distância brasileiro.

Black Bull – De Costa a Costa
DIREÇÃO: Gabriel Rodrigues
PRODUÇÃO: Brasil, 2017
QUANDO: Dia 2/5, às 21h, no CineSala (SP)

Cartaz do filme (Foto: Divulgação)
Clarindo durante a Race Across America de 2015 (Foto: Gabriel Rodrigues)
Clarindo enfrentando frio, vento e muita subida durante a ultramaratona (Foto: Gabriel Rodrigues)
Paisagem verdejante também fez parte do percurso da RAAM (Foto: Gabriel Rodrigues)
Trechos montanhosos foram os mais difíceus durante a prova (Foto: Gabriel Rodrigues)